14 de março de 2018

Ufersa receberá Selo Solar

Imagem do Selo Solar que passará a ser
 utilizado pela Ufersa
A Ufersa será a primeira universidade brasileira a receber o selo solar por causa da construção da usina solar no campus sede em Mossoró. A instituição recebeu as orientações de utilização em formato digital e o convite para receber a certificação no IX Seminário Energia Mais Limpa, que ocorre anualmente em Florianópolis, durante o mês de junho, bem como o convite para apresentar o case da Ufersa no evento.

O selo solar tem como objetivo reconhecer as instituições que se preocupam com os impactos ambientais de sua atividade e procuram reduzir as emissões de gases do efeito estufa através do uso da energia solar. A certificação é emitida pelo Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas para a América Latina (Ideal) e a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), e conta com o apoio da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH, do Banco Alemão de Desenvolvimento (KfW) e da WWF Brasil.

A utilização do selo solar pela Ufersa se dará, essencialmente, em torno de materiais referentes à usina solar fotovoltaica de acordo com as diretrizes do plano de marketing elaborado pela assessoria de comunicação da universidade.

Painéis solares da Usina Fotovoltaica da Ufersa / Foto: Reprodução Assecom

Uma dessas ações será a realização de uma campanha de conscientização sobre a utilização da energia solar na Ufersa, através da produção de adesivos com o selo solar que serão colocados ao lado dos interruptores distribuídos pelos prédios do campus sede. Esta iniciativa tem como principal objetivo informar à comunidade acadêmica sobre o tipo de energia que a instituição produz e consome. Ao mesmo tempo, estima-se que a conscientização sobre o uso sustentável da energia estimule a economia na utilização deste recurso.

A conquista do selo solar reafirma o compromisso da Ufersa com valores sustentáveis, principalmente após a elaboração do Plano de Logística Sustentável, da construção do abrigo de resíduos sólidos e da instalação da usina solar, coordenados pela professora Diana Lunardi. Ainda existe muito trabalho a ser realizado, como, por exemplo, a implantação de um sistema de compostagem para reaproveitar os resíduos orgânicos e os resíduos de poda e jardinagem, substituição das lâmpadas das salas de aulas e ambientes administrativos por lâmpadas ‘led’, instalação de medidores individuais nas edificações, entre outras ações. 


Parceiro anunciante

Nenhum comentário: