13 de dezembro de 2017

Melão, melancia e castanha de caju lideram pauta de exportações do RN

De janeiro a novembro deste ano o saldo da balança comercial do Rio Grande do Norte foi 54,6% maior que o saldo no mesmo período do ano passado.

As exportações cresceram 14,3% e chegaram ao patamar de US$ 270 milhões. Já as importações seguem em ritmo de queda e, no acumulado do ano, registram uma redução de 1,7%, com um volume importado de US$ 166,1 milhões. 

As frutas lideram o ranking das exportações potiguares e são os três itens mais enviados ao exterior, tendo o melão no topo da lista. Em onze meses, o volume negociado já chega a mais de US$ 92 milhões referentes ao embarque de pouco mais de 139 mil toneladas da fruta.

O segundo produto mais exportado entre janeiro e novembro foi a melancia. O estado exportou 42,2 mil toneladas, o que gerou uma receita de US$ 20 milhões. As castanhas de caju aparecem em seguida com um volume de US$ 19,2 milhões referentes ao envio de 2 mil toneladas das amêndoas.

Já o sal é o quarto item mais exportado pelo Rio Grande do Norte. No acumulado, foram exportadas 862,7 mil toneladas do mineral, o que corresponde a US$ 18,2 milhões negociados. O mamão vem em seguida com 10,2 mil toneladas, que representam uma negociação de US$ 9,9 milhões.

Os produtos mais importados pelo RN são trigo: 247,9 mil toneladas o equivalente a US$ 44,7 milhões; painéis e células solares, US$ 16 milhões, e castanha de caju in natura, 5,7 mil toneladas no valor total de US$ 10,2 milhões. O algodão aparece na quarta posição entre os principais produtos da pauta de importação potiguar.

Os números foram divulgados nesta quarta-feira, 13, pelo Sebrae/RN.


Parceiro anunciante

Nenhum comentário: