segunda-feira, 5 de junho de 2017

Tirando o ouvido do rádio

As emissoras de rádio lutam para preservar sua relevância como meio de notícia, música e entretenimento. Mas, não está sendo fácil. O rádio pena com a queda de audiência e de faturamento.

Imagem ilustrativa
Matéria na revista Veja mostra que só entre 2015 e 2016, o rádio perdeu 850 mil ouvintes e R$ 280 milhões na receita com publicidade. Com a internet, a quantidade de ouvidos colados ao rádio tem diminuído em ritmo acelerado. Cresce o número de domicílios que não possuem rádio.

As rádios religiosas são as únicas que tem escapado, pois, sustentadas pelas igrejas, independem de publicidade. Nas emissoras de notícias, estão escapando aquelas que ainda tiram partido de sua agilidade nas coberturas ao vivo, um trunfo do rádio.

Aquelas que ainda insistem em noticiário à moda antiga, lendo longos trechos que já são de conhecimento da maioria dos ouvintes - via outros meios de comunicação -, vem perdendo espaço. O mesmo acontece com os programas radiofônicos de entrevistas que não fazem questionamentos relevantes aos entrevistados e a entrevista fica parecendo um depoimento.

Parceiro anunciante

Um comentário:

  1. em Assu tem programa no horario nobre das 18 hrs q a pauta é mais nacional q local qdo tem muito assuto p discutir da politica local fica falando de temer e cia. Canindé Lopes

    ResponderExcluir