29 de maio de 2017

Iphan desiste de ação para impedir demolição do hotel Reis Magos

O parecer do Ministério Público Federal (MPF) apontando que o prédio do hotel internacional Reis Magos, na orla de Natal, não possui valor histórico, artístico ou arquitetônico ganhou o reforço de uma análise técnica feita pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Foto: Adriano Abreu
A autarquia desistiu da ação judicial que movia contra a prefeitura de Natal e os proprietários do edifício, na qual tentava impedir sua demolição, e arquivou o processo de tombamento do local.

A superintendência do Iphan no Rio Grande do Norte enviou processo em fevereiro deste ano ao Departamento de Patrimônio Material e Fiscalização (Depam), em Brasília, onde foi feita a análise técnica que opinou pelo não tombamento do imóvel.

O MPF, em parecer de autoria do procurador da República, Kleber Martins, se posicionou a favor da demolição, apontando que a permanência da atual estrutura tem sido utilizada como dormitório de desabrigados e usuários de drogas, acumulando lixo e contribuindo com a proliferação de ratos e insetos.

A demolição do prédio, entende o MPF, pode abrir espaço para algum empreendimento que ajude na atração de turistas à orla da Praia do Meio, com a consequente geração de empregos e receitas para a cidade.

O grupo proprietário do imóvel (Hoteis Pernambuco SA) já havia anunciado sua derrubada para dar lugar a um novo empreendimento, o que tinha levado o Iphan a buscar a justiça.

Parceiro anunciante

Nenhum comentário: