quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

RSJ realizou comparativo das estruturas organizacionais da gestão anterior e atual da prefeitura de Assú

No final do mês de janeiro o Rabiscos do Samuel Junior recebeu um comentário de um leitor com a seguinte sugestão: comparar o que era gasto na gestão anterior com a gestão atual da prefeitura de Assú. O leitor ainda acrescentou: “Estou pedindo demais???”

Tínhamos certeza que a missão não era nada fácil. Teríamos que procurar dados no Portal da Transparência para poder elaborar os quadros comparativos. Mas, fomos à luta com a ajuda de colaboradores.

A seguir os quadros e as análises comparativas dos cargos comissionados e das funções gratificadas.

Quadro elaborado pelo Rabiscos do Samuel Junior

Com relação aos cargos comissionados, na gestão do prefeito Ivan Júnior eram 349 com um gasto mensal de R$ 614.610,00.

Já na gestão do prefeito Gustavo Soares são 275 cargos, com um gasto mensal de R$ 606.100,00.

Analisando o quadro é possível verificar que houve uma redução de 74 cargos comissionados. Mas, para um bom observador, também é fácil perceber que essa diminuição foi em cargos de remunerações menores. Por exemplo: foram eliminados 80 cargos de assessor de secretaria, que na administração passada tinha remuneração de R$ 880,00.

Também é fácil observar que entre os comissionados foram criados novos cargos, como 4 secretários executivos – cada um com remuneração de R$ 7.000,00 -, e um aumento de 3 secretários – cada um ao valor de R$ 6.000,00 - e de um cargo de pregoeiro, com remuneração de R$ 5.000,00 mensal.

Resumindo: a economia na remuneração dos cargos comissionados é de apenas R$ 8.510,00 por mês. Isso mesmo, o equivalente a um cargo de secretário executivo (R$ 7.000), mais um cargo de chefe executivo (R$ 1.500).

Quadro elaborado pelo Rabiscos do Samuel Junior

Com relação as funções gratificadas houve uma diminuição de 48 cargos. Nessa redução chama a atenção a retirada de funções gratificadas na área de saúde, como no caso da extinção de 3 FG de suporte ao Samu. A gratificação de suporte ao Samu, que era de R$ 1.200,00, passou a ser a metade, R$ 600,00.

A função gratificada de supervisão de obras e serviços públicos passou do valor de R$ 2.000,00 – na gestão passada – para R$ 1.500,0 na atual gestão.

Também houve redução na função gratificada de prestação de contas – de R$ 2.000,0 para R$ 1.000,00 – e de gerenciamento de manutenção de iluminação pública, que passou de R$ 3.000,00 para R$ 2.000,00.

Resumindo: Na administração passada o gasto mensal com funções gratificadas era de R$ 107.800,00, e agora ficará em R$ 74.100,00. Uma economia de R$ 33.700,00

Analisando os dois quadros, é fácil concluir que a administração Gustavo Montenegro Soares privilegia os cargos comissionados em detrimento dos servidores efetivos. Basta verificar a diminuição nos valores das funções gratificadas e na redução na quantidade de FG de direção, chefia, coordenação e assistência.


Parceiro anunciante




Nenhum comentário:

Postar um comentário