28 de janeiro de 2017

Prefeitura de Assú corta linhas de telefonia móvel

A política de austeridade administrativa determinada pelo prefeito de Assú, Gustavo Montenegro Soares, definiu o corte de todas as linhas de telefonia móvel que eram disponibilizadas para alguns servidores municipais.

A medida de contenção de custos, com a eliminação das linhas de telefone celular, foi anunciada pela gestão municipal que terá uma economia estimada em R$ 7 mil mensais, ou R$ 84 mil em um ano.

Rabiscos do Samuel Junior: Toda medida de contenção de despesa no setor público é merecedora de aplauso. Mas, é preciso analisar o efeito prático de cada medida tomada.

Nesse caso específico, serão eliminadas 65 linhas de celular – com aparelho novo a cada doze meses – a um custo mensal de R$ 7 mil.

A questão é que essa economia irá refletir negativamente no bom andamento da comunicação entre os auxiliares da prefeitura e na prestação de alguns serviços.

Por exemplo: até dezembro, um dos meios de comunicação da população com a Ouvidoria era o whatsapp... Sem linha de celular, a população não terá mais essa opção.

Outra questão: as ligações celular/celular serão substituídas pelo fixo/celular. Exemplo: caso um secretário municipal precise ligar para o celular institucional de um auxiliar do governo estadual, essa ligação será via fixo/celular, que tem um custo mais alto. Isso foi levado em conta?

Muitas outras considerações poderiam ser citadas aqui, mas fico apenas com essas.

O mais sensato seria a gestão Gustavo Soares repensar essa medida. É só continuar com o serviço de telefonia móvel, diminuindo o número de linhas e consequentemente reduzindo o custo mensal.


Parceiro anunciante

2 comentários:

Anônimo disse...

Excelente a matéria! Faz uma crítica construtiva e ainda apresenta solução! Parabéns!
Vagner Souza

Rodrigo Cunha disse...

Imaginando aqui a repercussão negativa dessa medida para a instituição prefeitura.