terça-feira, 6 de setembro de 2016

Operação Medellín desmonta organização criminosa e prende dois advogados

A Operação Medellín, investigação conduzida pela Polícia Civil e pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), deflagrada nesta terça-feira (6) prendeu integrantes de uma organização criminosa que atuava no tráfico de drogas, crime de lavagem, ocultação de bens, direitos e valores.
Foto: Assessoria de imprensa da Polícia Civil do RN

Entre os detidos estão a advogada Ana Paula da Silva Nelson e o advogado Allan Cleyton Pereira de Almeida, que faziam parte do grupo. Pela investigação, o grupo tinha um patrimônio estimado em R$ 20 milhões.

A operação conseguiu cumprir quatorze mandados de prisão preventiva – sendo que três envolvidos já se encontram presos –, 36 mandados de busca e apreensão e doze mandados de condução coercitiva.

Participaram da operação, 21 delegados de polícia, 110 policiais civis (entre agentes e escrivães) e quatro promotores de justiça.

Foto: Assessoria de imprensa da Polícia Civil do RN
A ação resultou no sequestro de bens, entre eles, vinte veículos de luxo e dezessete imóveis de alto padrão que ficam em condomínios de luxo de Parnamirim.

Foram apreendidos dinheiro, aparelhos celulares, relógios, máscaras, joias, arma e munições, máquinas de contar cédulas, balança de precisão e diversos eletroeletrônicos. Ainda foram encontrados na operação, a quantidade de duzentos litros de gasolina, que possivelmente iriam ser utilizados mais ataques no estado.

A investigação da Polícia Civil e do Ministério Público apontou que havia três principais núcleos da organização criminosa. O núcleo de Gilson Miranda Silva, que encontra-se foragido da justiça desde julho do ano passado, quando foi alvo da Operação Anjos Caídos, na cidade de Santa Cruz. Gilson possui ligação direta com grandes traficantes do país. Fazem parte do núcleo Gilson, Glenda Yonara de Paiva Torres (esposa), François Mitterrand (braço direito), Ana Paula da Silva Nelson (advogada), Ailton Alexandre Flor de Lima (primo) e Thiago Borges de Andrade (comparsa).
 
Foto: Assessoria de imprensa da Polícia Civil do RN
O segundo núcleo – de João Maria – é o de um dos líderes e fundadores da facção Sindicato do Crime, João Maria Santos Oliveira (João Mago), que havia sido preso em 31 de julho deste ano, com 20 tabletes de cocaína e R$ 300 mil em dinheiro. Hoje, ele encontra-se em um presídio federal. Fazem parte deste núcleo, Vanessa Cristina da Costa Moura (esposa), Allan Clayton (advogado e comparsa) e Jaisnay Michael (comparsa).

O terceiro núcleo é o de Islândia de Abreu Lima, companheira do Diego Silva Alves do Nascimento – Diego Branco –, que chegou a ser um dos criminosos mais procurados do RN e atualmente encontra-se recluso na penitenciária federal de Porto Velho (RO). Islânia foi presa por ter sido constatado o seu envolvimento com os atos de vandalismos praticados no Rio Grande do Norte em retaliação à instalação de bloqueadores de celular na Penitenciária Estadual de Parnamirim (PEP). Mesmo preso, Diego Branco manteve o seu núcleo ativo por meio da sua esposa.



Parceiro anunciante

Nenhum comentário:

Postar um comentário