12 de setembro de 2016

Denominação de ‘bodegueiro' atribuída a Patrício Júnior tem efeito ‘bumerangue’

Profissionais que trabalham com marketing político sabem que uma palavra dita pode se transformar num problema grande para quem a pronunciou.

Um caso desse pode ser exemplificado em texto que circula em grupos de whatsapp. Nele é relatado que a oposição “revela o preconceito contra os que vencem na vida trabalhando: chamam Patrício Júnior de BODEGUEIRO”.

O texto é finalizado afirmando que Assú está “indignada com o preconceito contra os mais humildes dos que se apresentam como mudança, mas não percebem que Assú JÁ MUDOU, e vai continuar a MUDANÇA com Patrício, o Bodegueiro, prefeito”.

Pois é! A palavra dita com sentido 'pejorativo' teve efeito ‘bumerangue’

Confira o texto na íntegra:

De Empresário a Bodegueiro – a campanha de preconceito do Dr. Promessa.

No início da campanha a oposição se refere ao candidato Patrício Júnior como “empresário bem sucedido”, como se isso fosse um pecado. Revelava com isso o preconceito contra os que têm sucesso no trabalho, típico de quem nasceu em berço de ouro e não precisou construir sua própria história.

Patrício é um trabalhador, que herdou de seu pai valores não materiais, mas princípios que nortearam a sua vida: seriedade, honestidade, perseverança são alguns desses atributos. Quem conhece Patrício Júnior sabe que ele é aquele tipo de homem que “tem palavra”, como se dizia antigamente.

Ao acusar Patrício Júnior pelo seu sucesso como trabalhador a oposição atacava todos os filhos de Assú que não herdaram patrimônio material dos seus avós, bisavós... Atacava e diminuía a capacidade de cada um dos açuenses de empreender, construir seu futuro, ganhar a vida com esforço próprio.

Ao acusar Patrício Júnior pelo seu sucesso como trabalhador, também passavam um atestado bem claro do mundo que gostariam de voltar a viver: aquele onde as pessoas são dependentes do poder público, das feirinhas, cestinhas básicas e promessas de empregos na máquina pública para eternizá-los no poder.

Como acusar alguém que venceu com o próprio trabalho (e não mamando nos cargos públicos) não pegou bem, o grupo do Dr. Promessa agora tenta inverter a coisa, e mais uma vez revela o preconceito contra os que vencem na vida trabalhando: chamam Patrício Júnior de “BODEGUEIRO”.

Longe de receber como uma desfeita, Patrício Júnior se sentiu honrado com o termo, estendido também ao seu pai, seu Zé Patrício. 

Será que Dr. Promessa teria capacidade de gerenciar uma bodega e se fazer na vida apenas com seu próprio esforço, sem ter recebido tudo na vida “de-mão-beijada”, como recebeu?

É essa pergunta que Assú agora faz, indignada com o preconceito contra os mais humildes dos que se apresentam como mudança, mas não percebem que Assú JÁ MUDOU, e vai continuar a MUDANÇA com Patrício, o Bodegueiro, prefeito.


Parceiro anunciante

Um comentário:

José Antônio disse...

Eh isso mesmo campanha perdida agora vão inventa de tudo.. o choro é livre.