terça-feira, 2 de agosto de 2016

Temer não vai arrochar o cinto

O presidente interino, Michel Temer, decidiu ceder à pressão de alguns órgãos e flexibilizar o limite para gastos com pessoal. Com isso, tenta aprovar o projeto de renegociação da dívida dos estados com a União.

Com a flexibilização, as despesas com funcionários terceirizados, auxílio-moradia e outros benefícios ficarão de fora, por um período de dez anos, dos limites fixados pela Lei de Responsabilidade Fiscal, nos casos do Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública e Tribunais de Contas estaduais.

A medida evitará o corte de prestadores de serviços e desses benefícios nesses órgãos.


Parceiro anunciante

Nenhum comentário:

Postar um comentário