sexta-feira, 10 de junho de 2016

Justiça Federal condena integrantes do Grupo Líder

Sete integrantes do Grupo Empresarial Líder, sediado em Mossoró, foram condenados pela prática de falsidade ideológica. A investigação foi deflagrada na Operação Salt.

O juiz federal Orlan Donato Rocha, da 8ª Vara Federal, proferiu a decisão que condenou Edvaldo Fagundes de Albuquerque a 9 anos de reclusão, Genival Silvino de Sousa, condenado a 8 anos e 6 meses de reclusão, Ana Catarina Fagundes de Albuquerque a 5 anos e 10 meses de reclusão, e Eduardo Fagundes de Albuquerque a 2 anos e 4 meses, convertida em prestação de serviço à comunidade por igual período.

José Bonifácio Dantas de Almeida foi condenado a 3 anos e 11 meses, pena convertida em prestação de serviço à comunidade. Essa mesma condenação teve Felipe Vieira Pinto, que também prestará serviço à comunidade por 3 anos e 11 meses. Miguel Ângelo Barra e Silva recebeu uma condenação de 2 anos e 11 meses, pena que foi convertida em restritiva de direito.

Na sentença, o magistrado absolveu Edvaldo Fagundes de Albuquerque Filho e declarou a extinção da punibilidade de Tupinambá de Paiva Carvalho, em razão do seu óbito.

O magistrado observou que os crimes foram praticados através de um emaranhado de empresas e o uso de terceiros, que tinha como objetivo ocultar os reais sócios e os patrimônios das empresas. Ele observou que, sobre Edvaldo Fagundes, ele estava à frente do grupo Líder e a vasta documentação aponta para criação das empresas fictícias somente em benefício do Grupo Líder.


Parceiro anunciante

Nenhum comentário:

Postar um comentário